terça-feira, 9 de setembro de 2014


Que nessa semana que se inicia vocês 
esbarrem com sorrisos, abraços e muita paz!
 Que a tranquilidade invada seus dias, 
trazendo alegrias.

terça-feira, 12 de novembro de 2013


Olhar Cigano 
Os olhos ciganos 
São pérolas negras reluzentes 
Carregados de mistério e desconfiança. 
Olhos vívidos e expressivos 
Cujo fitar revela, uma peculiar diferença 
Dos olhos dos outros Homens. 
Cigano não olha simplesmente 
Move as pestanas e mira, mirada que descortina 
Os mais secretos pensamentos. 
Há um mistério incontestável 
Na estranha expressão de fitar 
Que traspassa o âmago do ser... 
Sabedoria milenar, de um povo profético. 
São a marca inimitável 
De um povo livre e honrado 
No mundo e com o mundo 
Os ciganos vão girando... 
Levando no enigmático olhar 
O silêncio do “Saber” 
Gitano Inconfundível, intransferível... 
Eterno.

domingo, 10 de fevereiro de 2013


Na verdade eu não tenho muito para lhe oferecer
Não possuo nada de extraordinário
Não sou um gênio
Não tenho um coração livre de impurezas
Não sou dona da beleza mais magnífica do planeta

Na verdade posso não ter o suficiente para lhe ofertar
Apenas a minha visão sobre o amor e o mundo e as noites
Apenas as minhas mãos suaves e macias e claras
Apenas a minha alma transparente e rosa
Apenas a minha boca cor de maçã e suave
Apenas o que é meu e posso lhe doar, sem pedir nada em troca:

Meu amor.

(pode não ser o suficiente, talvez seja o melhor que há.)
Clarissa Corrêa

sábado, 9 de fevereiro de 2013

NAS TREVAS FUI BUSCAR VOCÊ!...


Cansado e recém chegado aos jardins dos justos,
sentei entre anjos, lágrimas de saudades umedeceram minha face sofrida...
Saudades de seu rosto, de sua pele!...
Saudades de seus olhos de amêndoas...
Então, subitamente!...Disse aos seres que me cortejavam:
- Não!...Quero meu amor onde esta?!...
E os mesmos responderam-me: - Lá do outro lado!...
Olhei além das águas cristalinas, de onde só me vinha a escuridão,
gritos atormentados...
Então, d'entre os seres que jardinavam os campos floridos,
descanso dos pés marcados pelas feridas, chegou-me uma voz que disse:
- Pare!... Basta!... A quem procura esta lá e lá permanecerá para sempre!...
Tomado pelo desespero, adentrei ao mundo das trevas,
escondido, com a ajuda de anjos que exalavam jasmim...
A tudo vasculhamos a tua procura e, lá, entre arbustos de espinhos,
te encontramos, e tu, gritavas pela dor...
Neste instante te segurei em meus braços, e procedi à fuga,
apesar da luta atroz, caíste em uma outra dimensão,
o vazio infinito entre nós, e lá me perdi de ti, e sem ti por décadas fiquei...
De um lado a dor de não poder vê-la!... De outro a certeza que não mais sofria...
Até que depois de passados tempos de amargura,
consegui te achar no Universo, num lugar chamado Terra!...
Nosso primeiro olhar denunciou todo o amor guardado através do tempo,
um amor eterno, o meu amor que era para ti...
Passearemos de mãos dadas!...
Lutaremos juntos pela realização deste amor que antes,
estava condenado às trevas...
Por ti avancei na escuridão, percorri vales sombrios,
te libertei e por ti agora percorrerei o mundo afim de que sejas feliz!...
Se necessário fosse percorrer tantos outros vales de sofrimentos para ver-te feliz,
tudo e a todas as forças, novamente enfrentaria por ti!...
Agora, livre enfim, das dores e lembranças do passado, vem comigo!...
Vamos juntos, edificar nosso amor, um amor que será exemplo a todos os desesperados,
Vem!...

Assim é nosso amor!...Verdadeiro, vencedor sobre tudo e todas as forças contrarias,
jamais morrerá, antes vencerá o tempo, o espaço, infinito por seu querer!...

Amor enquanto verdade será sempre a maior das armas para as conquistas...

sábado, 22 de setembro de 2012

Sou como as estações
Se apaixonada,
Sou primavera
E quando desejo,
Sou verão.
Menina,
Mulher, mas
Fada que te aquece
E bruxa que te enlouquece.
Feitiço, encanto e perdição.

(Sirlei L. Passolongo)

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Eu queria ser...


Eu queria ser agora inúmeras coisas,
Para bem perto lhe sentir.

Queria ser teu sono,
Para em sua mente adormecer.

Queria ser teus lençóis,
Para estender-me sobre teu corpo.

Queria ser teus sonhos,
Para tua mente povoar.

Queria ser teu travesseiro,
Para melhor sentir teus cabelos.

Queria ser tua cama,
Para sentir o perfume e o calor do teu corpo.

Queria ser teu quarto,
Para em silêncio contigo ficar.

Queria ser a água do teu chuveiro,
Para o teu corpo banhar.

Queria ser teu sabonete,
Que em teu corpo desliza.

Queria ser tuas mãos,
Pra passear em teu corpo devagarzinho.

Queria ser tua toalha,
Que em segundos te enxuga.

Depois, queria te sentir aqui juntinho a mim,
Comprimindo meu corpo no êxtase do amor.

E por fim, te sentir mulher,
Como me sinto o maior homem do mundo.

No fundo, eu queria ser todo este mundo que te rodeia,
Até teu suspiro, "EU SIMPLEMENTE QUERIA SER". 

Autor: Joabe Tavares de Souza – Joabe o Poeta.

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

AMOR MADURO

Ainda que no tempo demores a chegar,
estarei sempre te esperando, aqui nesta janela,
que por enquanto é a nossa mágica ponte.

O inverno em breve, cederá espaço à primavera.
A natureza vai explodir em cores e formas,
deliciando os olhares, alegrando os corações.

Mas nós estaremos muito distantes físicamente
e nem sabemos quando nos veremos de novo.
quando desfrutaremos deste sonhar amoroso. 

Mas sabemos que o amor assim como os frutos,
tem as suas variações naturais, antes do seu ápice.

Um amor ainda verde, representa doce promessa,
até o momento em que desvelar-se amadurecido. 

Então suas doces carícias trarão as delícias do prazer
a ser compartilhado por corações que se comprazem
em fazer a felicidade um do outro. 

Um tesouro valioso descoberto, 
que traz quietude interior e paz de espírito. 

(Guida Linhares)

domingo, 19 de agosto de 2012


MEU EU EM VOCÊ!!

Sou o sol que aquece tua pele
A luz que ilumine os caminhos
....O vento perfumando tua alma
A melodia que embala teus sonhos
Sou a magia cativante no olhar
O mar que toca teu corpo macio
A lua que te inspira a me amar
O caminho que queres trilhar
Sou tua doce menina atrevida
Que um dia com minha magia
Toquei e encantei teu coração
E na cumplicidade da paixão
....Por me te fiz apaixonar
Sou o amor que existe dentro de ti.

(Kity Araújo)

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Não vou te perder de vista
Minha memória é fogo
Pois na lista que eu tenho
O teu nome ta guardado

Foram muitas que aprontamos
Que até perdemos as contas,
Já fugimos dos perigos
Como quem anda brincando.

Fizemos tantas loucuras
Que só mesmo Deus contando,
Mas te tenho na lembrança
Quando me pego chorando.

É que a coisa ficou séria
E o adeus não foi engano.
Pois mudaram nossos planos
Quando mudamos de lado

Só assim nós acordamos
Como quem desencantados
É que a gente foi crescendo
E o tempo foi passando.

Pois ali na nossa praça
Mora uma avenida estranha
Onde o bonde ali passava
Hoje correm automóveis.

Lembra do nosso cinema
Hoje dorme um viaduto,
É que nossa alegria
Mudou até o seu nome.

Hoje se chama saudade
Tem um peso tão enorme
Já não se fazem meninos,
Já não se fazem mais

(Caito Spina)
Tomara

Que a tristeza te convença
Que a saudade não compensa
E que a ausência não dá paz

E o verdadeiro amor de quem se ama
Tece a mesma antiga trama
Que não se desfaz

E a coisa mais divina
Que há no mundo
É viver cada segundo
Como nunca mais...

(Vinícius de Moraes)

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Ouvindo o Mar

No silêncio da noite
Ouço o mar.
Ondas que vem e vão.
Que batem na areia, incessantemente.
Ecoam na noite quebrando o
silêncio do verão.

A solidão já está acompanhada.
O marulhar entra n'alma
e torna o estar só agradável.

É grande o prazer de imaginar
que somos nós - o mar e eu
fortalezas inconquistáveis
no fluxo e refluxo da vida.

A infinita solidão quebrada
pelo vento, pela maresia, se traduz
num suspiro que corta a noite...

Um gemido, nítido, uma voz,
o vento corta o ar.
...e as lágrimas morrem nos lábios
salgados de saudades.

E a paixão dolorosamente esquecida,
fica trancada - vendo o tempo passar...
e no vem e vai, no vai e vem,
nas dobras do tempo, a vida se esvai.

O vento, a areia, o sol, o sal,
o quero-quero, as gaivotas, as pessoas,
eram apenas fantasmas que anunciavam
a troca dos dias...
Dias - que esqueci de notar na emoção
que enfeita cada movimento do viver!

A noite está silenciosa.
Noite de verão à beira mar
é bálsamo à alma.
E a lágrima triste que vira espuma
é inquietude, noiva da saudade
que aumenta na proporção das ondas
que batem na areia...

Delasnieve Daspet

sábado, 4 de agosto de 2012

Palavras


Hoje não tenho palavras
Tenho sim uma forte emoção 
Irei deixar falar meu coração 
Vai ser livre como o vento 
Vou mostrar todo o meu sentimento 
Entre o amor e paixão 
Já que não tenho palavras 
Falará o coração 
Mostrará com as batidas 
Cada batida uma palavra 
Cada som e um sentimento 
Já que não tenho forças para escrevê-las 
Serão ditadas com o meu coração 
Assim começou 
Te vi e olhei e assim fiquei 
Será que te devia dizer 
Sim devo dizer que te amo 
Já que tu não podes 
Será que devo viver sem ti! 
Posso mas não é o mesmo 
É duro penoso, e sofredor 
Meu coração não encontra cura 
Me mata com esta grande dor 
Para este amor, ele pergunta? 
Porque te apaixonas 
E coração diz 
Ninguém me comanda 
Quando amo 
Somos dois no sofrimento 
Eu e o meu coração 
Alguém tem a cura 
Ajuda se precisa 
Ajudem e estou apaixonado 
Culpa do meu coração 
Não consigo controlar 
Não me obedece 
Ele está louco de paixão 
Não quero ser curado 
Porque é lindo e bom estar apaixonado 
Por alguém como tu meu amor 
Quando ouço a tua voz, sonho 
És minha nesses momentos 
Porque viver é recordar 
E por este amor é bom morrer…



segunda-feira, 30 de julho de 2012

Um mar de amor...


Tem amores infinitos, desde antes de nascer
tem amores que nascem antes que possamos saber
tem amores marcados em data e lugar, tempo e idade...
tem aqueles que vem como uma onda gigante... derrubando tudo..
tem uns calmos e mornos... tem uns doces e outros amargos...
tem os eternos e os passageiros,avassaladores e vorazes!!
como o meu por você, feroz, gigante, derruba barreiras... muralhas.
veio como uma onda de vento chegou e virou um furacão!
destruiu meu coração, arrasou com minha paz, deixou em pedaços minha alma.
mas cada vez que te encontro cato todos os pedaços caídos de mim
pelo chão como semente semeadas atrás de fertilidade,como migalhas de pão.
me refaço em minutos... me atiro em seus braços! Te amasso te devoro.
Te consumo me assumo como louca por você!

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Felicidade!!!


E se eu me perder em seus braços,
Fique tranqüilo! Pois eu terei
encontrado a tão sonhada,
Felicidade.

Às vezes estamos sem rumo,
mas alguém entra em nossa
vida, e se torna o nosso destino.
Às vezes estamos no meio de
centenas de pessoas, e a solidão
aperta nosso coração pela falta
de uma única pessoa!!!

terça-feira, 24 de julho de 2012

Somente quando
encontramos o amor é
que descobrimos o que
nos faltava na vida! O
amor é uma flor delicada,
mas é preciso ter coragem
de ir colhê-la à beira de
um precipício!!!

quinta-feira, 19 de julho de 2012


Um amor que se vai...!!!

Poeta Cigano

Ah! Como triste é, essa nossa vida,
Quando um amor se vai de repente,
Marcas deixando, não esquecidas,
Uma amarga dor, dentro da gente!

Deixa então essa vida, de ter sentido,
Nessa fragilidade, ficamos carentes,
Também não importa o tempo vivido,
Nem as carícias ali dantes presentes!

Ludibriados que fui por meu coração,
E ao achar que era amor uma paixão,
Tudo isso deixei eu, então, acontecer!

Agora, sem volta, ficam as lembranças,
E, como já nasceu morta, a esperança,
Só me resta tentar dele, esquecer!!!

(Cantinho do Poeta Cigano)

domingo, 15 de julho de 2012

"Estou te amando e não percebo, 
porque, certo, tenho medo. 
Estou te amando, sim, concedo, 
mas te amando tanto 
que nem a mim mesmo 

... revelo este segredo."

(Affonso Romano de Sant'Anna)

sexta-feira, 13 de julho de 2012


NO ENCANTO DO AMOR

Nuvens de fogo,
eu sou apenas um homem,
um simples homem que se apaixonou pelo seu sorriso,

dizem que só os loucos se apaixonam,
mas eu não consigo evitar este sentimento,

eu fico assim diante do sol que me ilumina,
é como o amor deve ser?,
seria um medo qualquer não me aproximar e te dizer,

dizem que os covardes evitam o amor,
mas eu sou um simples homem,
que se apaixonou pelo seu sorriso,

eu não sei como o amor esta destinado a acontecer,
o sol me pega, a lua me toma, e as estrelas dançam,
o mar esta sussurrando em meu espirito,

dizem que só os loucos se apaixonam,
e eu não consigo evitar este desejo,

eu não sei como o amor esta destinado a acontecer,
eu sou apenas um simples homem
que se apaixonou pelo seu sorriso,

nós estamos querendo o mesmo distante do paraíso,

muitos dizem que só os loucos se apaixonam,
e eu não consigo evitar este sentimento,

a vida esta me drenando o suspiro,
assim como o amor esta destinado a acontecer,

eu não consigo evitar este desejo,
eu sou apenas um simples homem que se apaixonou pelo seu sorriso.

(LEANDRO OCSEMBERG)

segunda-feira, 9 de julho de 2012


Esta alma graciosa, que dança em volta desta fogueira
Que dos anjos, das ternuras, dos desejos e dos amores
Exala sensualidade, como as fragrâncias duma roseira
Como pintura mais divinal, dos poemas e dos louvores

Sendo esta a alma cigana, e para mim a flor mais linda,
Sendo esta alma, a fina flor do bem querer e sensação,
É uma alma vaporosa, sedutora, apaixonante e advinda
D’lém mar, d’outra plaga, e de um poema a inspiração!

Sinto que esta beleza tão sutil, e nas flores simbolizada,
É a beleza pura da alma cigana, e de um ser abençoado;
Em sublimação, e no êxtase de um coração acolhedor!

Esta beleza e formosura são para mim assim como flores,
Que na visão que tenho de seu perfil ao lhe contemplar;
Atiçam as brasas desta paixão, e na fogueira deste amor!

sábado, 7 de julho de 2012

“Toda mulher tem um homem que se foi
Um homem que a deixou por outra
Um homem que nem mesmo a notou
Um homem que a deixou por um ideal
Um homem que sumiu num temporal
... Um homem que não passou de dois drinques
Toda mulher tem um homem que se foi
Um homem que foi pego em flagrante
Um homem que prometeu um brilhante
Um homem que saiu pra jogar
Toda mulher tem um homem
que esqueceu de voltar.”

_Martha Medeiros_

Mulher louca que fui,
Hoje eu sou cigana feliz!
Do lixo para a luz!
Da dor para a cura!
O meu depoimento é simples e sincero.
Eu sou como a Vida: não enrolo e nem complico.
Falo direto, sem máscaras.
Eu sou como o Amor: toco fundo no Coração,
Na verdade das coisas.
Falsidade não é comigo.
Verdadeira é a espiritualidade.
Mestre é Deus!
Eu sou apenas a cigana, cheia de alegria.
Não faço milagres, só danço e transformo as energias.
E compreendo um pouquinho das coisas do coração.
E, digo a vocês: sejam limpos de coração.
Não compliquem! Quebrem a arrogância
Sintam o vento da vida arejando suas emoções.
Não enrolem! Aceitem o Amor!
Mas, que seja de forma grandiosa.
Que seja na Luz. Que transforme o viver.
Que cure a Alma. Que eleve a consciência
Que faça dançar com a Vida... Que valha a pena!
Eu sou cigana feliz e falo assim, bem simples
E Deus me guia. Não enrolem!
Sejam ousados: encarem o amor de frente...
Atrevam-se a iluminar o coração, de forma grandiosa.
Curem-se! A grande magia está em vocês.
A mesma magia que me levou do lixo para a luz.
Aquela magia de Deus: o Amor!

quarta-feira, 4 de julho de 2012


A Espera... !!!
A frágil luz da choupana pouco clareava,
Uma pequena lareira tentava, ali, ajudar,
Uma fria noite, precocemente já chegava,
E, um medo interior parecia me dominar,
Enquanto ansioso e, choroso, a esperava!

Pela janela, via esse tenebroso anoitecer,
E também uma torrencial chuva desabar,
Um forte açoite do vento, a porta ranger,
Tudo isso lá fora, já estava a me assustar,
E essa temeridade não podia eu esconder!

Num rompante, ela na porta então surgiu,
Correndo e feliz, veio ela logo me abraçar,
Sua presença fez o meu coração, disparar,
E quando ela olhou-me nos olhos e sorriu,
De felicidade, então, eu passei a chorar!!!!!

sexta-feira, 29 de junho de 2012


Na Imensidão...
Delasnieve Daspet
.
Há milênios cheguei à Terra.
Eu -,  que sou pó e terra, 
Voltei para integra-la e nela 
Me diluir,  um dia. 
.
Para fazer parte do cosmo - 
Pó cósmico que sou,  
Voando como uma nuvem rosa em céu de anil, 
Ou ainda pairar na beira do cerrado, 
Carregada pelo vento sul que amaina 
As tardes de minha terra...
.
Cheguei, como todos, com o  assento  
Reservado na imensidão
Para viver os momentos dos mistérios 
Que compõem nossas almas
E nossas vidas... 
.
Cada momento  é um presente  reservado.
Cada encontro  é um  bálsamo que  acaricia
As dores d´alma com a doce melodia da poesia.
.
Tudo é parte do ser humano que somos:
Alento, calor, carinho, amor e amizade.
Somos irmãos de caminhada.
.
A cruz nossa de cada dia  não será um peso
Mas um caminho, conquista, esperança,
Diante de tudo que destrói e agride.

DD_Delasnieve Daspet

quinta-feira, 28 de junho de 2012


QUEM SOU
(Carvalho Branco)

Sou, por dentro,
a paz e o tufão...
sinto, que quando entro
em mim, sou amor e sou paixão...

Sou tufão no momento
de desespero, de desafio...
sou então
corrente caudalosa de um rio,
a seguir com o vento,
na busca da imensidão
do oceano,
sem ter, na verdade, um plano,
em busca da solução...
O mar me acalma,
sou água, sou alma...
Emoção!...

Sou paz,
arauto da união...
do amor, sou guardião
e mais:
sou a brisa que refresca,
sou o que se colhe ou pesca
para a alimentação...
Sou o pão!
Sou água para a sede
e o meu sangue, em rede,
oxigena a mente
da população...
Sou o que o outro sente,
sou razão!...

Se sou bela ou feia,
que me diga aquele
que me leia
a alma, a mente, o coração...
Busco seguir minha missão.
Que minha palavra
seja sempre a d’Ele,
instrumento que lavra
o terreno de cada aldeão...
Que sejam sempre meus versos
portas abertas aos universos,
planos todos da Criação...
Integração!

Sou a paixão que não passa,
sou o ideal e a brava raça,
sou o amor em toda dimensão!
Sou só faísca da Chama, sou fração...
Sou aquela que ao Ser abraça,
à Natureza enlaça,
elo de corrente em vibração!...

sábado, 23 de junho de 2012

Sou Cigana, sou Mulher...
Vim cantar a beleza das flores.
Cheguei para perfumar, para conquistar.
Acenderei o fogo. Dançarei para o vento.
Alegria, alegria...
Sou sedução. Sou pura paixão.
Minha estrada é seguir meu coração.
Danço a minha canção.
Prisão para mim não existe,
sou cigana, sou livre...
Carrego a força da natureza em minha alma.
Caminho em direção ao vento.
Amo. Seduzo.
Não me prendo a esse mundo.
Caminho com as estrelas.
Meus olhos brilham como o sol.
Meu corpo dança, balança e encanta.
Minha maior alegria é a vida.
Minha liberdade é valiosa!
Trago o Universo em mim.
Sou mistério.
Viajei um Universo profundo.
Com meu pandeiro elevo aos céus.
Sou mensageira. Sou cigana. Sou mulher. 

(Cigana Sharmayla)

terça-feira, 12 de junho de 2012

A barca

Carlos Alberto Costa Teixeira
BOA NOITE !!!!!!!!!!!!!!!!!

A BARCA

Dizem que à distancia a gente esquece

Mas eu não aceito essa razão

Porque eu seguirei sendo o escravo

De teus caprichos, de teu coração

Soubeste iluminar meus pensamentos

Me deste a verdade que sonhei

Afaste de mim os sofrimentos

Desde a primeira a noite que te amei

Hoje a praia se veste de amargura

Porque teu barco breve vai partir

Vai singrar outros mares de loucura

Cuida que não naufrague teu viver

Quando a luz do sol for se apagando

E te sintas cansada de vagar

Lembra que eu por ti estarei esperando
Sempre que tu decidas regressar
Dizem que à distância a gente esquece

Mas eu não aceito essa razão

Porque eu seguirei sendo o escravo

De teus caprichos, de teu coração

Soubeste iluminar meus pensamentos

Me deste a verdade que sonhei

Afaste de mim os sofrimentos

Desde a primeira a noite que te amei

Hoje a praia se veste de amargura

Porque teu barco breve vai partir

Vai singrar outros mares de loucura

Cuida que não naufrague teu viver

Quando a luz do sol for se apagando

E te sintas cansada de vagar

Lembra que eu por ti estarei esperando

Sempre que tu decidas regressar.

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Rosas vermelhas

Como tecidas em veludo, 

Feito por ágeis mãos,
São estas rosas vermelhas
Do meu jardim,
Cujas pétalas se desfolham, 
Com o soprar do vento,
Caindo pelo chão...
Como se de um amor se tratasse
E estivesse a chegar ao fim!

Piso esse tapete vermelho,
Feito de pétalas de rosa
Que ao se desfolharem murcharam,
Esfarrapadas pelo vento,

Perderam a cor e o cheiro...
Que outrora 
Minhas lágrimas molharam,
Mas logo voltam a florescer, 
E aos poucos desabrocharão!

Rosas vermelhas com seus espinhos,
Criam dor e incerteza,
Meus olhos tímidos e inertes olham,
Maravilhados o ciclo próprio, 
Desta natureza!


(Ferreira Naná)

domingo, 20 de maio de 2012

A VAGA E A ROCHA 
(Andréa Motta)
Quisera sobre a mulher poder só descrever
momentos doces, sublimações e fantasias.
No entanto, não posso da vida esquecer
não ser feita somente de alegrias.

Tampouco posso olvidar dos preconceitos
da dupla jornada, das mãos cheias de calos
do salário menor, do tanque todos os dias
do assédio sexual, da barriga à beira do fogão

Tanto faz que seja ruiva, negra ou loira,
que seja índia ou morena cotidianamente
desenhar-te transcende a magna arte

Conheço teus sonhos com a maternidade
com casa própria, com a liberdade.
Conheço tua revolta, tua ansiedade

Por vezes pareces ser a oroboro
a girar eternamente com a boca
enfiada na própria cauda.

A bem da clareza se registre
toda mulher possui uma peculiar beleza
um brilho manso no olhar

E muita garra p'ra viver o que lhe cabe
como uma vaga selvagem
batendo forte numa rocha.
Retrato teu...
Me ensina a te entender
Me ensina a saber te ter
Me ensina a saber te esperar
Me ensina a saber te buscar
Eu quero te ter vez em quando
Não te quero em meu mundo tanto
Mas se te querer e te ter
te angustia quanto
não te quero assim sob o meu manto
Quero-te vez em quando
Mas me ensina a esperar tanto
Me ensina a saber quando
Me ensina a entender quanto
Sê teu meu encanto
Quando for o teu quando
Mas me ensina...
Preciso aprender o teu quanto
E entender que teu encanto
é maior que o meu pranto
E que não te ter sob o meu manto
não é motivo para angústia tanto
Quero-te vez em quando
Mas me ensina a esperar tanto
E me ajuda a lembrar deste canto
Quando em meu canto, sob o meu manto,
eu não souber esperar quanto
para ter colado ao meu corpo teu encanto...
Que eu quero tanto...
(Adriana Luz Ruella)
MULHER
Priscila de Loureiro Coelho

A sedução é sua vontade
Na crueldade de sua condição
E se avoluma dentro de seu peito
Explodindo feminilidade
Como lava de um antigo vulcão
Que escorre aquecendo seu leito
E derrete no calor da paixão
Que é perene...E não tem idade

Seu corpo é templo de contemplação
Onde cultua sua essência feminina
Que de menina se tornou mulher
Seu corpo abriga eterna explosão
Em seu interior é que determina
O modo exato como ela quer
Traçando assim a sua própria sina
Escrita a fogo em seu coração.

sábado, 12 de maio de 2012

Quem somos afinal?

Uma centelha do infinito
A anos luz uma explosão
Uma faísca do intróito
Ou a costela de adão?
Uma partícula do todo
Um grão de areia no deserto
Filha do Deus altíssimo
Sua imagem e semelhança
A alma que em mim palpita
Caminhando ao infinito
Eterna aprendiz nessa viagem
Na bagagem carrego
Dor transformada em amor
Na escola da vida estou sendo
lapidada pelo criador.
Quando daqui eu me for
Retornando ao pó da origem
Quero deixar plantada
Uma árvore eterna
Que sem data ou estação
colham frutos de amor.
(Candy Saad)

segunda-feira, 7 de maio de 2012


O teu riso

Tira-me o pão, se quiseres,
tira-me o ar, mas não
me tires o teu ris...
o.

Não me tires a rosa,
a lança que desfolhas,
a água que de súbito
brota da tua alegria,
a repentina onda
de prata que em ti nasce.

A minha luta é dura e regresso
com os olhos cansados
às vezes por ver
que a terra não muda,
mas ao entrar teu riso
sobe ao céu a procurar-me
e abre-me todas
as portas da vida.

Meu amor, nos momentos
mais escuros solta
o teu riso e se de súbito
vires que o meu sangue mancha
as pedras da rua,
ri, porque o teu riso
será para as minhas mãos
como uma espada fresca.

À beira do mar, no outono,
teu riso deve erguer
sua cascata de espuma,
e na primavera , amor,
quero teu riso como
a flor que esperava,
a flor azul, a rosa
da minha pátria sonora.

Ri-te da noite,
do dia, da lua,
ri-te das ruas
tortas da ilha,
ri-te deste grosseiro
rapaz que te ama,
mas quando abro
os olhos e os fecho,
quando meus passos vão,
quando voltam meus passos,
nega-me o pão, o ar,
a luz, a primavera,
mas nunca o teu riso,
porque então morreria.
Pablo Neruda